O candidato a deputado federal Carlin Moura esteve nessa terça-feira no lançamento do Plano de Governo da Coligação Do Lado do Povo na praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza em Belo Horizonte. Foi a primeira vez, desde o início da campanha eleitoral, que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e a deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB) estiveram em Belo Horizonte. Presente no ato estavam também o então governador de Minas, Fernando Pimentel, a candidata a vice-governadora Jô Moraes (PCdoB) e a candidata ao Senado da chapa, Dilma Roussef.

Em um ato focado em críticas ao poder Judiciário por conta da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad, registrado como vice de Lula no TSE, representava o ex-presidente.

“Lula foi o presidente que mais veio a Minas. E não veio só pra conversar, veio pra entregar melhorias em todas as regiões. Eu mesmo vim com ele aqui muitas vezes”, contou Haddad, fazendo referência ao presidente Michel Temer (MDB), que visitou o Estado pela primeira vez apenas em 2018.

Ele ainda lembrou a relação entre o senador e candidato ao governo Antonio Anastasia (PSDB) e o também senador e hoje candidato a deputado federal Aécio Neves (PSDB). “As pessoas que desestabilizaram o país eram lideradas por Aécio Neves. Nunca imaginei que o neto de Tancredo Neves atentaria contra a democracia. Isso não podemos esquecer. E o parceiro de Aécio neste atentado é Anastasia. Não vamos esquecer disso. Por isso hoje só falamos em ‘Anastáecio’. Eles são uma coisa só”, alfinetou Haddad.

Também estava presente no evento o alto escalão da campanha petista, como o governador e candidato à reeleição Fernando Pimentel. “Minas é a principal trincheira de resistência do Brasil contra os golpistas. Estamos resistindo há quase quatro anos a um cerco fatal feito por esse governo fajuto de Brasília. E agora, um desses responsáveis por isso que tentar ser governador de novo. Mas vamos dizer a eles, nas urnas, que não aceitaremos”, disse. A fala foi a deixa para o público presente entoar cânticos contra o candidato tucano.

Já a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB) pediu votos para Pimentel e para Dilma. “A responsabilidade dos mineiros é enorme. É a responsabilidade de devolver à Brasília a nossa presidente eleita e dizer que o povo de Minas não reconhece o golpe”, afirmou Manuela.

A ex-presidente Dilma usou seu pronunciamento para sair em defesa de Lula. “Prenderam Lula sem crime, sem motivos. Lula está preso pelas suas qualidades, preso porque levou o Brasil a outro patamar. Todos sabemos que ele é inocente.”, apontou Dilma. Ela ainda aproveitou para alfinetar Aécio. “Não saí daqui de Belo Horizonte pra ficar surfando em praia do Rio de Janeiro, saí pra lutar contra a ditadura”, disse.

Sheila Moreno com informações do Jornal O Tempo